domingo, 29 de janeiro de 2012

Hoje vou de... Nicolas Krassik


Nicolas Krassik e Cordestinos - O Amor Daqui de Casa (Gilberto Gil)





sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Sexta sou eu

Ser

contraditória,

                                      vulnerável

                                                       valente

                                                                  visceral

Sou

Pensa com coração,
Acredita na razão
                [nas pessoas]

Espera o melhor: Esperança

Eu!

E chorar na sexta-feira
               E dançar na sexta-feira
                              E dormir na sexta-feira,
                                             E esperar a sexta-feira...
Seja santa ou seja 13

Sou eu!



segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

''A gente nasce para o que é''

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Duplo Twist Mortal Carpado ou Minha Vida como ela É

Por sorte, os saltos [e sobressaltos] da vida não tem sido para trás. Embora ainda não consiga ter claro em que direção ela me leva [vida leva eu]. A vida é caprichosa e valente, vai levando a gente com força pelos caminhos que quer. Ou será que somos nós que a seduzimos nas noites de lua com nossas promessas de aventuras sem fim?

Não estou descartando as possibilidades. Diante de tantas mudanças, encontros e desencontros só posso sorrir e dizer do quanto essa viagem não é rotineira. Do quanto aprendo todos os dias com as pessoas que encontro no caminho e quanto isso influi [e contribui] com meu caminhar.

Sentada no puff no meio [literalmente] da sala olho em volta, num giro de 360° e concluo que está apenas começando esta incrível aventura. Mas para próximo passo ser leve, preciso [e vou] deixar muitas coisas pelo caminho. Há que abrir mão de objetos e lembranças para caminhar mais longe.

Então pensei comigo... Tantos livros. Tantas coisas. Há três semanas [!] estou na casa e há um quarto de caixas fechadas com coisas das quais não sinto falta. E se não sinto falta, não é importante. Talvez tenha sido um dia, mas não mais. Não agora. Então, por que manter essas coisas? Por que não entregá-las a quem faça uso delas? A decisão de Ano Novo é levar para 2012 apenas aquilo posso carregar sozinha.

Vou fazer um encontro de troca/venda/desapego/doação. Vou deixar no caminho as coisas que já não fazem sentido. Emprestar um cantinho de estante na casa d'algum amigo/amiga para deixar os livros que importam e seguir a estrada com uma mochila grande e outra pequena, lindas lembranças e o desejo de viver e registrar cada passo.

Decreto aberta a Semana do Desapego em minha vida. [mais uma, eu sei]. Mas a vida não é assim?
E o Desapego será lá em casa, regado a bom almoço, tarde preguiçosa, boa conversa e trilha sonora de primeira. Quem quiser comparecer, mande um recadinho por e-mail que passo as coordenadas.