terça-feira, 19 de outubro de 2010

O Poderoso Chefão: Receita Inesquecível num Clássico do Cinema




''Um homem que não se dedica a familia




nunca será um homem de verdade''.


( O Poderoso Chefão, parte I, 1972)



The Godfather (no original) se tornou um épico, recheado de momentos inesquecíveis do cinema. Cenas como o tiroteio na barraca de frutas, o assassinato no restaurante, Don Vito no canteiro de tomates, toda a seqüência de Michael na Sicília e muitas outras, então vivas na memória dos cinéfilos mesmo quase 20 anos depois de seu lançamento.


Uma dessas cenas marcantes para mim, que amo receitas e cinema, é aquela em que um dos 'funcionários' de Don Corleone está preparando um espaguete e conta ao Michael, filho dileto do don, os segredos da receita tradicional italiana.


''primeiro refoga o alho e a cebola, junta as almôndegas, tomates frescos, e, claro, um pouco de polpa de tomates, tempera com sal, basílico e...'' vem o segredo revelado pelo cinema: junta uma colher de açúcar.


Infelizmente o homem precisa sair urgente para fazer um serviço  para o capo, nos deixando apenas o aroma e o sabor do espaguete a preencher a imaginação.


Na minha experiência sugiro que o alho seja aduzido apenas depois que as almôndegas já estejam douradas, antes de juntar os tomates frescos, a polpa e o manjericão. Isto porque, se juntamos antes o alho certamente irá ficar bem dourado, no entanto com um acento amargo em seu gosto. 


A massa, claro, deve estar ao dente. Esse ponto garante a manutenção da alma da pasta: firme, mas não crua e deve ser acompanhado de parmesão ralado na hora. 


A receita foi testada, e aprovada por Bella e Bito - os filhotes de plantão - num sábado à noite de família reunida. 


Para quem vai experimentar: Bom apetite!


Se você também tem uma receita bacana que viu em filmes, me conte. Vamos trocar figurinhas e publicar aqui as melhores receitas do cinema.






Respeite dos direitos de autoria. Se for citar, dê créditos à autora.

3 comentários:

  1. Olá. Obrigado pelos comentários. Quanto à Marina, acho que por mais magoada que ela esteja com o PT, deveria lembrar que o que está em jogo é o futuro de milhões de brasileiros. Penso que é uma covardia e uma falta de solidariedade enorme o que ela fez.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Bom... não entendi o nexo entre o texto e o comentário...
    Vou procurar algum filme (possivelmente brasileiro) que ensine a Cartola pernambucana...
    Ou então, num café destes da vida a gente experimenta.
    Vida Longa ao Blog da Maria...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. To esperando até hoje a Cartola Pernambucana, Marcelo.. :-)

      Excluir

O que você acha?